Uma Investigação das potencialidades das empresas brasileiras de irrigação de precisão DOI : https://doi.org/10.29327/medius.v2e2.a8

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Willians Ribeiro Mendes

Resumo

Em 2014 foi constatado mais de 19 mil pivôs centrais e pouco mais de 1.2 milhões de ha de área irrigada no Brasil. E com os avanços tecnológicos da última década foi possível desenvolver novos modos de operação para os irrigadores do tipo pivô central, por exemplo a irrigação por taxa variável, do inglês tradução literal para a tecnologia - Variable Rate Irrigation (VRI). É preciso, cada vez mais, a adoção de tecnologias de manejo que busquem a exatidão. Nesse ambiente de novas metodologias e tecnologia a pergunta que vêm é, será que as empresas brasileiras estão no mesmo nível de desenvolvimento? Será que fornecem esses sistemas ou novos produtos que consigam executar irrigação por taxa variável? Com essas perguntas o trabalho analisa os catálogos das grandes empresas brasileiras para determinar se as mesmas dispõem de produtos ou serviços que foquem essas novas técnicas. De forma analítica cada empresa teve seus catálogos verificados e apesar de existir seis grandes empresas brasileiras consolidadas neste setor de irrigação de precisão apenas duas empresas colocam de forma explicita os produtos e serviços para essas novas metodologias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Áreas Abertas